Blog BASSO STRAPS

home / blog / Falando de Marketing
20/07/2015
Falando de Marketing

Falando de Marketing

Normalmente quando inicio um nova turma nos cursos que ministro sobre marketing ou mesmo com minhas turmas na universidade, costumo logo de cara perguntar o que cada um entende por marketing. Não é raro que de início as respostas circulem por palavras como propaganda, comunicação, divulgação e vendas. Incitados a continuarem com o brainstorming, começam a surgir outros significados ligados também a produto, cliente, mercado e estratégia.

Este exemplo ilustra como na mente das pessoas, a palavra marketing ainda está relacionada com comunicação, que na verdade é um dos quatro P’s do marketing em seu nível operacional (do inglês product, price, place e promotion, que eu prefiro traduzir como produto, preço, distribuição e comunicação).

Entretanto, quando falamos em marketing, devemos procurar o seu significado mais amplo! Quando buscamos um conceito para marketing, em uma publicação ou em autores consagrados, várias são as alternativas encontradas, sendo que na verdade, cada um pode construir o conceito de marketing mais apropriado para o seu negócio. Particularmente, considero marketing em uma forma ampla, como o conjunto de ferramentas coordenadas, empregadas pela empresa para conquistar e manter clientes satisfeitos de forma mais eficiente e eficaz que a concorrência, gerando resultado para a empresa.

Assim, marketing começa pela estratégia adotada pela empresa, passando pela definição das táticas em termos de segmentação e posicionamento no sentido de atingir seus objetivos, até chegar na aplicação e adequação das suas ferramentas operacionais para alcançar o resultado. E isto vale tanto para uma grande organização como para uma pequena empresa, tanto para uma indústria como para o varejo. Evidentemente, que cada qual deve adequar à sua realidade a utilização das estratégias, táticas e ferramentas.

Em uma loja de produtos musicais, por exemplo, temos alguns aspectos importantes a serem considerados, iniciando pelo fato de que do ponto de vista da indústria, a loja é na verdade um canal de distribuição. Porém é restritivo entender a loja apenas como um ponto de venda, principalmente porque a loja em si é uma empresa e deve ter suas estratégias estabelecidas para o seu crescimento e desenvolvimento no mercado.

Portanto, uma loja de produtos musicais enquanto empresa, deve estabelecer claramente suas estratégias mercadológicas, indicando qual o seu verdadeiro negócio (que não deve ser apenas “vender instrumentos e acessórios para música”), sua missão de existir, seus princípios de atuação e sua visão de futuro! Este é um primeiro e ótimo exercício de marketing.

Por: ÁLVARO FLORES: Engenheiro Químico e Mestre em Engenharia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com Pós-graduação em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Tem quase 30 anos de atuação nas áreas de Tecnologia, Gestão, Marketing e Desenvolvimento Humano, tendo atuado em empresas do setor industrial, em instituições de ensino e entidades setoriais. Professor de graduação e pós-graduação, atuando atualmente na ULBRA – Universidade Luterana do Brasil. Autor do livro “A Revolução dos Nichos: do Big Bang à Personalização em Massa”, articulista e palestrante.
COMENTÁRIOS